• Home
  • Author: Dominik

Como emagrecer e perder barriga depois do parto

Toda mamãe assim que tem o bebê se vê diante de uma situação: e agora, como fazer para emagrecer e perder a barriga? E se você está passando por isso, confira aqui nossas dicas bem legais!

Ao contrário do que muita gente pensa, recuperar a velha forma, após o parto, não é privilégio apenas das estrelas de cinema e TV. É possível, sim, adotando algumas estratégias, emagrecer e perder barriga, recuperando o antigo corpo em pouco tempo. Quer saber como?

  • Amamentar sempre que o bebê desejar, acredite, comprovadamente, isso favorece a produção de leite, que consome mais energia que já está acumulada no seu corpo;
  • Cozinhar os alimentos a vapor, além de mais saudável, oferece mais nutrientes na refeição, e não engorda como nas outras versões;
  • Usar uma cinta modeladora pós-parto, ela ajuda a reorganizar os órgãos internos, comprimindo a barriga, além de também ajudar a afinar a cintura;
  • Beber 2 a 3 litros de água por dia, isso ajuda a ter uma boa produção de leite além de diminuir a fome;
  • Beber chás,como chá verde ou chá de erva-doce, ajudam a desinchar, sem prejudicar o bebê;
  • Sair para passear com o bebê por, pelo menos, 30 minutos, todos os dias, vai melhorar a circulação sanguínea, queimar algumas calorias e ainda ajudar no bem-estar;
  • Fazer exercícios em casa com o bebê, ajuda a tonificar os músculos, combatendo a flacidez, além de aproximar o contato com o bebezinho.

Com certeza, são dicas simples mas que podem ajudar, e muito, a emagrecer, e com saúde. Lembrando que não é saudável perder mais de 2 kg por mês enquanto o bebê estiver mamando.

Vale saber que a dieta ideal para emagrecer e perder barriga após o parto não pode ser muito restritiva, principalmente, se a mulher estiver amamentando porque para garantir a boa qualidade do leite o corpo precisa de nutrientes e calorias que são fornecidas na alimentação da mãe.

E mais, quanto mais alimentos crus a mãe comer, melhor o intestino irá trabalhar, porque eles são ricos em fibras, que também ajuda a desinchar a região abdominal.

É fundamental que a mãe faça de 5 a 6 refeições por dia e ingira muita água entre as refeições para não prejudicar a digestão.

Exercícios para emagrecer e perder barriga

 

Para quem não sabe, os exercícios físicos são bons porque a contração muscular ajudam a levar o líquido em excesso para os rins, eliminando pela urina.

Mas, atenção, evite exagerar, pois o excesso consome muita energia, diminuindo a produção de leite materno, prejudicando a amamentação.

E se você fizer exercícios juntamente com emagrecedor q active que é um produto natural para perder peso, suas chances de emagrecer rápido serão muito maiores.

Passo a passo para emagrecer e perder barriga

 

A dica, portanto,para emagrecer e perder barriga sem prejudicar a amamentação é cumprir o seguinte passo a passo:

  • Amamentar;
  • Tomar água, chá ou suco;
  • Fazer, no máximo, 45 minutos de exercícios;
  • Beber líquidos,como água ou chá
  • Descansar, no mínimo, 1 hora.

Uma ótima dica é procurar fazer os exercícios enquanto o bebê está dormindo e, se não for possível, dançar com ele, mas se der, aproveitando ao máximo esse momento. Acredite, essa fase passa rápido, seu corpo logo voltará ao normal e, quando der por conta, seu bebê estará crescido e você cheia de saudade.

Como emagrecer no pós-parto

Depois de meses e meses de expectativas e muitos planos, finalmente o bebê nasceu e o clima é de alegria total. No entanto, não é incomum que as mães acabem se deparando um clima de incertezas, insegurança e insatisfação com as mudanças sofridas pelo corpo.

O fato é que essa é uma época de muitas mudanças, de descoberta da maternidade, adaptar-se a uma nova rotina, um corpo que está mudando novamente, alterações hormonais, diferente distribuição da gordura corporal, celulite, estrias e muitas outras coisas.

Nesse cenário, duas coisas muito comuns acontecem: ou as mamães acabam se incomodando e fazendo de tudo para voltar o mais rápido possível ao peso de antes ou se acomodam e acabam ganhando ainda mais peso.

Então, se você não quer se acomodar e quer emagrecer no pós-parto, vamos ver algumas dicas.

Como emagrecer no pós-parto

Primeiramente, o que você precisa saber é que esse não é o período mais indicado para adotar uma rotina mais pesada de atividade física. No entanto, claro, é ótimo manter o corpo ativo para que ele já vá se acostumando.

Saiba ainda que é completamente possível perder o peso acumulado durante a gestação de uma forma segura e saudável, sem causar danos ao bebê e à sua saúde, veja:

  • Tenha paciência

Não acredite que é possível perder todos os quilinhos a mais de uma hora para a outra. Além disso, dê tempo para que o corpo possa se adaptar novamente, visto que a gestação é um processo que mexe demais com o organismo feminino.

O inchaço abdominal vai desaparecer em cerda de 6 semanas, o corpo vai regular os hormônios e aos poucos suas funções vão voltando ao normal.

  • Não faça uma dieta restritiva

A energia que o corpo precisa vêm das calorias ingeridas, que são essenciais no pós-parto, especialmente para quem está amamentando. Além disso, fique sabendo que somente o ato de amamentar já consome cerca de 500 a 600 calorias.

Lembre-se que alimentar-se bem é essencial para que o corpo possa produzir leite, então em vez de restringir alimentos o melhor é usar algum suplemento natural que ajude a saciar a fome excessiva, Sibulmax é perfeito neste caso.

  • Tenha uma alimentação balanceada

Estudos mostram que a maioria das mulheres não consome a quantidade adequada de zinco, cálcio, magnésio, ácido fólico e vitamina B6 o período do pós-parto.

Não é incomum colocar todo o foco no bebê e acabar deixando a alimentação de lado. No entanto, é fundamental ter uma dieta balanceada, rica em nutrientes. Sem isso, você e o bebê pode acabar sendo prejudicados.

  • Amamente

Como já explicamos, amamentar também é um processo que gasta calorias, além de contribuir para a liberação de hormônios do bem-estar.

Mais do que isso, não esqueça de tomar bastante água, dormir bem e fazer exercícios, que pode ser até uma caminhada no parque com o seu bebê.

Impotência por cigarro tem cura?

Que o cigarro é prejudicial para a saúde todos sabem, não é mesmo?! Não é novidade que as embalagens dos cigarros tragam avisos a respeito dos danos que ele pode causar, inclusiva a impotência sexual.

Mais do que isso, é sabido que ele pode causar problemas cardiovasculares em geral, incluindo infartos, e também câncer de laringe, de pulmão, de boca e outros.

No entanto, ainda é grande o número de pessoas que ignora esses efeitos nocivos e o risco em potencial.

Em relação à impotência sexual, é importante ressaltar que o número de ocorrência em homens por causa do cigarro é de 85%.

O tabagismo não afeta somente a fertilidade masculina, mas também diminuem a possibilidade de uma gravidez.

Segundo especialistas, não é incomum que a infertilidade seja confundida com casos de impotência sexual e é por isso que ambos assuntos sempre foram considerados tabus, preconceitos e medos.

Então, a primeira coisa que precisa ser explicada é que a infertilidade masculina é apenas a incapacidade de gerar filhos, mesmo depois de um bom tempo de relações sexuais frequentes. No entanto, não há nenhum problema relacionado com a funcionalidade do pênis.

Já a impotência sexual é a impossibilidade de ter uma ereção que seja satisfatória, impossibilitando o contato sexual.

Há uma estimativa de que cerca de 10% da população masculina já adulta apresente algum grau de impotência. Somente no Brasil o número de é 6 milhões de homens que apresentam esse problema.

Impotência por cigarro tem cura?

A impotência sexual masculina pode ter uma grande variedade de causas, e o tratamento da mesma, envolve, justamente, a descoberta dessa causa.

Sim, o tabagismo pode ser um fator causador, mas é preciso entender melhor qual o dano que ele causou para levar a um quadro de impotência sexual.

Mais do que isso, a impotência também pode ter relação com outros problemas, tais como:

  • Distúrbios psicológicos
  • Problemas hormonais, como diabetes, distúrbios endócrinos e diminuição da testosterona
  • Doenças neurológicas, como Alzheimer e Parkinson
  • Doenças vasculares, que causam diminuição na função das artérias que prejudica a chegada de sangue até a região genital.
  • Consumo excessivo de álcool, medicamentos ou cigarro

No caso do tabagismo, o pênis sofre as mesmas consequências que as artérias coronárias. Então, o uso contínuo do cigarro acaba entupindo as artérias e não possibilitando que se dilatem corretamente, diminuindo o fluxo de sangue na região, o v8 big size funciona pra isso porque é um gel corporal que quando aplicado no pênis, ele melhora a circulação sanguínea, fazendo com que você consiga ter e manter uma boa ereção.

Assim, a impotência vai depender do tempo de tabagismo, do consumo diário e da sua associação com outras doenças, como hipertensão ou diabetes.

A cura do problema está relacionada, principalmente, com um diagnóstico adequado, que deve ser feita por um especialista. Por isso, não deixe de procurar ajuda!

Quais os fatores de risco para câncer de próstata?

Quer saber quais os fatores de risco para o câncer de próstata e como pode se prevenir da doença? Então, continue lendo esse artigo.

Presente apenas nos homens, localizada estrategicamente logo abaixo da bexiga, na frente do reto, envolvendo a parte superior da uretra, a próstata é a glândula tema central da campanha Novembro Azul, que visa prevenir o câncer de próstata.

A  próstata, embora não tenha influência sobre a ereção, é responsável por  fabricar o líquido prostático que, juntamente com o líquido seminal, formam 90% do sêmen, sendo responsáveis pelo bom funcionamento dos espermatozoides.

Quais os fatores de risco de câncer de próstata?

Embora nenhum homem esteja livre de desenvolver câncer de próstata, alguns  fatores podem aumentar as chances de adquirir a doença, tais como:

  • Idade avançada: infelizmente, com o passar dos anos, o risco de adquirir a doença aumenta, e no Brasil, a cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos.
  • Histórico de câncer na família: homens com histórico da doença na família também têm mais chances de contrair a doença.
  • Sobrepeso e obesidade: segundo pesquisas, existe maior risco de câncer de próstata em homens com peso corporal mais elevado.

Como prevenir o câncer de próstata?

Comprovadamente, uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, e se fizer uso desses alimentos juntamente com o suplemento natural curaprost pode ajudar, e muito, a prevenir a doença, não só o câncer, como outras tantas.

Mas, outros hábitos também devem ser incorporados, como, por exemplo, praticar atividades físicas diariamente, procurar manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar.

Portanto, na lista de principais fatores para prevenir o câncer de próstata não podem faltar:

  • Investir em um alimentação saudável.
  • Manter o peso corporal adequado.
  • Praticar atividades físicas regularmente.
  • Não fumar.
  • Evitar ingerir bebidas alcoólicas.

Quem não apresenta sintomas precisa fazer exames?

Como o câncer de próstata não costuma dar sinais, apenas quando já está em estágio mais avançado, é fundamental que homens, após os 50 anos, realizem exames a cada ano, e se houver histórico na família, a partir dos 40 já é necessário.

Realizando o exame poderá identificar o câncer de próstata logo no inicio da doença, aumentando, assim, a chance de cura, evitando que chegue a um estágio mais avançado e o tratamento já não surta efeito.

Exames que avaliam a próstata

Toque retal: o exame é simples, rápido e indolor, feito no próprio consultório.

PSA:  coleta de sangue para avaliar a quantidade da proteína que é produzida pelo tecido prostático.

Ultrassom: geralmente só é realizado quando os dois exames anteriores apresentam irregularidades.

Biópsia: em caso de suspeita, é pedida uma biópsia, que é feita retirando-se uma pequena amostra da próstata para posterior avaliação mais aprofundada.

4 bonecas que toda menina gostaria de ter

A lista é grande, mas existem as bonecas que toda menina gostaria de ter. Veja o que elas têm de tão atrativo.

Brincar de boneca é coisa de criança, porém, as pequenas também são seletivas e sabem que existem algumas que se diferenciam.

Algumas recebem tanto destaque que são as bonecas que toda menina gostaria de ter, afinal, eles têm um que de especial ou estão na moda.

Bonecas que toda menina gostaria de ter

Veja quais são as bonecas que toda menina gostaria de ter e que nem sempre são apenas brinquedos.

  1. Bonecas da moranguinho

As meninas dos anos 8 eram apaixonadas por essas bonecas e queriam ter a coleção completa, e se possível deixar expostas para que todas as amigas vissem.

Elas tinham roupas e cabelos coloridos e cada uma tinha o cheiro da fruta que representava. Além de bonitinhas, eram cheirosas.

  1. Baby Alive

As bonecas já estão no mercado há algum tempo e as meninas gostam delas porque podem fazer coisas comuns do cotidiano.

Existe a que come, a que ri, a que exige a troca de fraldas e outras. A proximidade com a realidade faz com que as pequenas se sintam cuidando de um bebê de verdade.

  1. Bebê reborn

Por falar em proximidade com a realidade, a bebê reborn não poderia ficar de fora. Essas bonecas que toda menina gostaria de ter se parecem com uma criança de verdade, e há uma perfeição em todos os detalhes.

É possível até que as bonecas sejam confundidas com crianças e essa semelhança é o grande atrativo.

  1. Barbie

Outra linha de bonecas que encanta as crianças desde seu lançamento. As pequenas bonecas atualmente imitam a realidade, possuem profissões, tem carros, casa, piscina e muito mais.

Para as pequenas sonhadoras é possível adquirir Barbies que são personagens como princesas, sereias e outros personagens de desenhos.

Veja algumas outras bonecas que fazem sucesso ao redor do mundo nesse vídeo e entenda o que elas têm de diferente:

Depois de conhecer as bonecas que toda menina gostaria de ter, diga se não deu vontade de voltar a infância ou fazer uma coleção.