• Home
  • 2020
  • September

4 alimentos para melhorar seu desempenho sexual

A DE é uma condição na qual o homem não tem uma ereção completa ou a mantém por tempo suficiente para alcançar uma relação sexual satisfatório. Entre os fatores de risco para o desenvolvimento dessa doença está o diabetes, e os latinos têm uma predisposição genética para sofrer com isso.

Na verdade, há momentos em que a disfunção erétil é o primeiro sintoma que alerta o homem para a possibilidade de ser diabético. No entanto, há muito que você pode fazer para evitar ter de ouvir aquele diagnóstico que ninguém quer ouvir. Além de manter um estilo de vida saudável, onde a alimentação é balanceada, os exercícios físicos fazem parte da rotina e você vai ao médico regularmente, há mudanças sutis que você pode fazer na sua alimentação.

Apresentamos aqui uma lista de alimentos e explicamos como funcionam, mas lembre-se sempre de consultar o seu médico sobre quaisquer alterações. Além desses alimentos, você pode fazer o uso do sildenax que é um estimulante natural que ajuda a melhorar o desempenho masculino e feminino.

Ginseng

Usado na medicina tradicional chinesa, o ginseng promove a liberação de óxido nítrico e estimulação nervosa para desencadear uma ereção. Além disso, graças a este efeito, exerce um poderoso efeito antioxidante, protegendo os vasos sanguíneos responsáveis ​​pelo enchimento dos corpos cavernosos que conduzem à ereção.

Um estudo publicado no Journal of Ginseng Research , Journal of Ginseng Research , mostrou que o efeito relaxante do ginseng no músculo liso do órgão sexual dos coelhos e o aumento da função erétil foi diretamente proporcional à dose que receberam. Dado o efeito atraente dessa raiz, vale a pena tomar uma xícara de chá de ginseng perto de sua cama. No entanto, lembre-se de que mais nem sempre é melhor para todos.

Açafrão

Esta deliciosa especiaria, originária do Irã e também cultivada na Índia e principalmente em alguns países mediterrâneos, tem efeitos positivos nas ereções masculinas. O açafrão é o estigma vermelho que vem da planta cientificamente conhecida como Crocus sativus quando seco. Na medicina tradicional é recomendado como uma substância afrodisíaca e pesquisas científicas revelam seus potenciais benefícios.

Por exemplo, um estudo publicado na revista Phytomedicinemostraram que pacientes com disfunção erétil que consumiram comprimidos com 200 miligramas de estigma de açafrão diariamente foram capazes de aumentar o número de ereções e sua duração. Por isso, pode ser uma boa ideia incluir este tempero requintado ao temperar pratos como arroz, carne, peixe, camarão, lentilhas, pães e até sobremesas.

Ematoma

Este tubérculo usado em sopas e ensopados vem de uma planta nativa dos Andes peruanos. Vários estudos destacam os benefícios de consumir maca gelatinizada para aumentar o desejo sexual nos homens. Além disso, aumenta a força e a resistência nos homens.

No século 13, os guerreiros incas o consumiam antes de cada batalha para ter mais energia; no entanto, eles foram proibidos de consumi-lo depois de conquistar uma cidade, a fim de proteger as mulheres do aumento do desejo sexual que experimentavam.

Uma investigação publicada no Journal of Ethnopharmacologyrevela que depois de tomar suplementos de extrato de maca por 14 dias, os atletas participantes melhoraram seu tempo de ciclismo de 40 quilômetros e relataram um aumento no apetite sexual. Portanto, pode ser saudável para você saborear pratos à base de maca para estar sempre disposta a desfrutar de momentos íntimos com seu parceiro.

Alho

Os benefícios do alho para o sistema cardiovascular são amplamente conhecidos. Ajuda a reduzir a placa de ateroma, os níveis de colesterol e triglicerídeos, que são fatores de risco para o desenvolvimento de disfunção erétil. O consumo diário de alho contribui para um sistema circulatório saudável, reduzindo o risco de distúrbios de ereção. Porém, não vale a pena ingerir antes de um encontro romântico, pois seu hálito pode não ser agradável para seu parceiro.

Nova Cirurgia Para Acabar com a Impotência Sexual

Felizmente, a vida moderna não traz apenas mais problemas para o nosso dia a dia, mas soluções também para problemas antigos. Assim, uma nova cirurgia apareceu para livrar muitos homens do fantasma da impotência sexual.

A Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista de Botucatu anunciou uma nova técnica que promete corrigir a impotência sexual em homens que retiraram a próstata: a reinervação peniana.

Na verdade, essa cirurgia significa um grande avanço e uma enorme esperança para muitos homens, já que é preciso considerar que quando pacientes com câncer precisam remover a glândula masculina, na maioria das vezes isso resulta em impotência sexual.

Segundo os pesquisadores envolvidos, já foram operados 62 homens, com uma taxa de sucesso de 60%, ou seja, seis em cada dez voltaram a ter “capacidade de ereção” durante o ato sexual.

Já, os 40% restantes demonstraram grande melhora na ereção, sem dúvida, devolvendo sua qualidade de vida. Uma outra forma de melhorar a ereção é fazendo o uso do estimulante motumbo, ele é um produto natural que ajuda melhorar o desempenho sexual.

Como é realizado o procedimento

Basicamente, o procedimento retira um nervo da perna, o sural, criando com ele uma ligação entre o nervo femoral e o pênis.

O nervo femoral passa pela região da bacia, passando sensibilidade e força para a coxa e os músculos envolvidos na caminhada. Embora não esteja envolvido na ereção, por ativar movimentos corporais, surgiu a ideia de utilizá-lo para substituir o nervo cavernoso, que comanda a ereção do pênis.

Então, com a criação desse atalho, o cérebro passa a enviar estímulos ao órgão sexual por esse novo caminho, ou seja, o nervo utilizado para andar passa a responder também pela ereção.

Para quem serve essa cirurgia de reinervação peniana

Sem dúvida, o principal público-alvo é composto por aqueles homens que precisam retirar a próstata para tratar um tumor maligno na glândula, que é o segundo tipo de câncer mais frequente entre o sexo masculino, perdendo apenas para o câncer de pele.

Como a cirurgia de remoção costuma deixar uma lesão no nervo cavernoso, com o membro perdendo sua sensibilidade, isso seria corrigido com essa nova técnica.

Mas, embora esse seja o público alvo, se espera que outros grupos acabem sendo beneficiados, como diabéticos, já que a doença costuma prejudicar o sistema nervoso dos membros, muitas vezes, causando impotência sexual.

Outro grupo diz respeito a quem passa por algum trauma na bacia – como fratura decorrente de um acidente. Embora isso ainda esteja sendo estudado, se acredita que o método possa ser eficaz para todos que sofrem pequenas perdas vasculares.

A cirurgia

Para passar pela cirurgia, primeiramente, o paciente precisa receber uma anestesia geral ou peridural.

Depois, são realizadas incisões nos dois lados da virilha, na base do pênis e nas laterais de ambas as pernas.

Então, é retirado o nervo sural, responsável apenas pela sensibilidade de uma parte dos pés, ele é dividido em dois,com cada metade sendo inserida em um lado da virilha.

Vale saber que a cirurgia tem duração de cinco horas, e a recuperação é feita com treinamentos de excitação, os quais envolvem estímulos visuais e masturbação, incentivando a ereção.

Até o momento, fora o incômodo normal da cirurgia em si, não foram registrados efeitos colaterais.

Embora os resultados sejam animadores, no entanto, essa técnica ainda não chegou ao SUS e planos de saúde, por isso, quem deseja realizar essa cirurgia, no momento, precisa entrar na lista de espera da Faculdade de Medicina de Botucatu, sendo que a instituição tem capacidade para operar só 17 pacientes ao ano.

Sabendo desde já que, atualmente,  o tratamento para impotência sexual é feito à base de remédios ou injeções aplicadas pouco antes da relação, ou ainda, cirurgias para implantação de próteses penianas.

Agora, portanto, é torcer para que a técnica chegue logo a todos os hospitais do país.